terça-feira, 10 de novembro de 2009

"Them Crooked Vultures"

Para ouvir e ouvir:

musica: New Fang
álbum: Them Crooked Vultures, 2009
interprete: Them Crooked Vultures


terça-feira, 3 de novembro de 2009

ruína

Uma questão que me assalta: que é (um)a ruína?

terça-feira, 27 de outubro de 2009

...


Silhades ao primeiro olhar...

Foto e edição: Mauro Correia, Torre de Moncorvo 26 de Outubro de 2009

Work in Progress

19 de Outubro de 2009, lugar da Póvoa, Adeganha - Torre de Moncorvo
Foto e edição Mauro Correia

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

mundo a passar e a vida a correr…

Não lugar, não existir, ver o mundo a passar e a vida a correr…

Debruçado sobre um qualquer alpendre de um espaço público, numa qualquer esplanada de um qualquer sitio, assistir a existência de-cima que nem um voyeur… sedento de ser-parte…

E assim decorre à frente dos olhos a rotina e o lazer… a mãe que (per)segue em passo acelerado a criança que foge e se esgueira por entre as dezenas de desconhecidos, o jovem que tenta, disfarçadamente, seduzir e dar a mão à rapariga de cabelos escuros que o acompanha, a mulher, bela, que olha no infinito com uma expressão perdida e introspectiva e que é observada, de soslaio e com desejo, pela maior parte dos indivíduos do sexo masculino… o carteirista, ou pelo menos isso aparenta ser, que procura sorrateira e despercebidamente sacar algo dos múltiplos e coloridos sacos de compras da mulher de aspecto doente… o carinho entre um casal de idosos, as mulheres da limpeza com o seu uniforme inconfundível, o segurança que nada observa e a atitude hediondo de dois indivíduos que julgam e riem abertamente de tudo e todos, pelos seus limitados critérios, decadentes, débeis e grotescos… e mais, muito mais acontece… tudo fervilha de ritmo… e ninguém atenta a nada que não si mesmo…

Criatura estranha, esta que observa, sem interferir, no entanto nada garantindo que não esta também a ser observada ou no mínimo pressentida… mas que quer afinal? Fazer parte deste viver-para-dentro-de-si-mesmo que observa e regista? Existir… ser… viver...

Acorda(r)!

Mauro (Outubro de 2009)

domingo, 11 de outubro de 2009

... volubilidade...

"(...) a volubilidade feminina que tão facilmente se despe de emoção como de um elegante vestido de noite."

por: Joseph Conrad, no conto O Conto
em: Juventude, pp: 66/67, Edições Quasi

"Love Street"

Sugiro:

musica: Love Street
Interprete: The Doors
album: Waiting for the Sun, 1969

"She lives on Love Street
Lingers long on Love Street
She has a house and garden
I would like to see what happens

She has robes and she has monkeys
Lazy diamond studded flunkies
She has wisdom and knows what to do
She has me and she has you

She has wisdom and knows what to do
She has me and she has you

I see you live on Love Street
There's this store where the creatures meet
I wonder what they do in there
Summer Sunday and a year
I guess I like it fine, so far

She lives on Love Street
Lingers long on Love Street
She has a house and garden
I would like to see what happens

La, la, la, la, la, la, la
La, la, la, la, la, la, la..."

domingo, 4 de outubro de 2009

"I Should Care"

Sugestão musical:

musica: I Should Care (live)
interprete: Jane Monheit

sábado, 19 de setembro de 2009

...fauna

... companhia junto à "Quinta do Tobias" (EP58)!
Fotografia: Mauro Correia, 19 Setembro

...

quarta-feira, 16 de setembro de 2009

... by night

Vista da varanda da cozinha em noite de lua cheia...

Fotografia e edição: Mauro Correia, Torre de Moncorvo

domingo, 13 de setembro de 2009

Sugestão musical da semana: "Dance Me to the End of Love"

Cá vai a desta semana:

musica: Dance Me to the End of Love (live)
interprete: Leonard Cohen
álbum: Various Positions, 1984

"Dance me to your beauty with a burning violin
Dance me through the panic 'til I'm gathered safely in
Lift me like an olive branch and be my homeward dove
Dance me to the end of love
Dance me to the end of love
Oh let me see your beauty when the witnesses are gone
Let me feel you moving like they do in Babylon
Show me slowly what I only know the limits of
Dance me to the end of love
Dance me to the end of love

Dance me to the wedding now, dance me on and on
Dance me very tenderly and dance me very long
We're both of us beneath our love, we're both of us above
Dance me to the end of love
Dance me to the end of love

Dance me to the children who are asking to be born
Dance me through the curtains that our kisses have outworn
Raise a tent of shelter now, though every thread is torn
Dance me to the end of love

Dance me to your beauty with a burning violin
Dance me through the panic till I'm gathered safely in
Touch me with your naked hand or touch me with your glove
Dance me to the end of love
Dance me to the end of love
Dance me to the end of love"

domingo, 30 de agosto de 2009

Mão Morta

Depois do concerto de ontem (muito bom... mas demasiado curto) a sugestão musical não poderia ser outra que não Mão Morta:

musica: O Anarquista Duval (ao vivo no festival Paredes de Coura 2007)
álbum: Mão Morta revisitada, 1995


musica: O Sonho
ábum: Maldoror, 2008

domingo, 23 de agosto de 2009

"Borboleta"

Sugestão musical semanal:

musica: Borboleta
interprete: Foge Foge Bandido (Manuel Cruz)
álbum: Foge foge bandido, parte 1 (O Amor dá-me Tesão), 2008

sexta-feira, 21 de agosto de 2009

Noites Ritual 2009

Dia 28 Foge Foge Bandido (Manel Cruz) e Dead Combo e dia 29 Mão Morta são a não perder!

Vemos-nos por lá?! EU VOU ;)

mais informação AQUI


sábado, 15 de agosto de 2009

"Evidence"

A sugestão musical desta semana vem com um dia de adiantamento:

musica: Evidence
interprete: Faith no More
álbum: King for a Day... Fool for a Lifettime, 1995

Tenham um grande fim de semana

domingo, 9 de agosto de 2009

Sugestão musical da semana

A sugestão desta semana é um clássico do rock-ibérico:

musica: Entre dos Tierras
interprete: Heroes del Silencio
álbum: Senderos de Traición, 1990

sexta-feira, 7 de agosto de 2009

work...

... a verificar estado de elemento patrimonial... Baixo Sabor, Torre de Moncorvo

(fotografia por: André Rolo)

sábado, 1 de agosto de 2009

... mendigo

"(...) Pensas que consideram o mendigo como um homem? Não. Há dez anos que ando pelo mundo, sei muito bem o que digo. Dão-te um pedaço de pão como se dessem uma nota de mil, e acabando de o dar imaginam que têm abertas as portas do Paraíso. Pensa bem, que motivo os leva a fingir que são generosos? É para se porem em paz com a sua consciência, apenas para isso, meu pequeno. Atiram-te uma côdea e assim já não se envergonham de comer. É apenas por isso, não penses que é por terem pena de ti. O tipo que como de modo a saciar toda a fome é um selvagem, e nunca tem pena do que tem a barriga vazia. O saciado e o faminto serão sempre inimigos, olharão sempre um para o outro como cães prontos a engalfinharem-se. Não há possibilidade de se comoverem e de procurarem entender-se..."

em: "Três Contos", pp: 13; Ed. Quasi

domingo, 26 de julho de 2009

"Stairway to Heaven"

As NoitesBrancas regressam com nova imagem e como sugestão musical da semana fica o eterno Stairway to Heaven:

musica: Stairway to Heaven
interprete: Led Zeppelin
álbum/DVD: The Song Remains the Same (live), 1976


Desejo a todos uma grande semana (de férias ou de trabalho), abraços

sexta-feira, 24 de julho de 2009

Porto Blue Jazz '09

Aqueles que gostam de Blues e Jazz, não percam este evento (entrada gratuita)

Dia 31 de Julho é a não perder...

http://lazer.publico.clix.pt/artigo.asp?id=236514

Aproveitemos as noites de Verão...

terça-feira, 21 de julho de 2009

...

Amigos leitores,
São vários os motivos pelos quais este espaço tem sim votado ao silêncio... o excesso, a desmotivação... e, sobretudo, a falta de "inspiração" e de interesse pelo Ser!

Por isto, apresento as minhas desculpas...

Um Até breve (de Torre de Moncorvo)!

domingo, 12 de julho de 2009

"Dog Days are Over"

Sugestão musical da semana:

musica: Dog Days are Over (live at BBC Introducing)
interprete: Florence and the Machine
álbum: Lungs, 2009

Desejo a todos uma boa semana...

sexta-feira, 10 de julho de 2009

Rio Sabor (Felgar)

Rio Sabor, margem no Felgar, Torre de Moncorvo...
(fotografia e edição: Mauro Correia, 10 Julho '09)


domingo, 5 de julho de 2009

"Wicker Man Song"

Sugestão musical da semana:

musica: Wicker Man Song
interprete: Nature & Organisation
álbum: Beauty Reaps the Blood of Solitude, 1994

sábado, 4 de julho de 2009

"Chicken à la Carte"



Para ver, ver, ver... e pensar!

...

(clicar na foto para ampliar)
Vista panorâmica da albufeira da Barragem de Ranhados, Mêda, Portugal (Agosto 2008)
Fotografia e edição: Mauro Correia

domingo, 28 de junho de 2009

"Thriller"

A sugestão musical desta semana é uma musica e respectivo video-clip do denominado rei da pop que faleceu a 25 de Junho de 2009, Michael Jackson:

musica: Thriller
interprete: Michael Jackson
álbum: Thriller, 1982

Consta que Michael já travou amizade com o Menino Jesus no além :P

domingo, 21 de junho de 2009

domingo, 14 de junho de 2009

"Everything Zen"


musica: Everything Zen (live Woodstock '99)
interprete: Bush
álbum: The Best of 94' 99'

"there must be something that we can eat :: maybe find another lover :: should i fly to los angeles :: find my asshole brother

minnie mouse has grown up a cow :: dave's on sale again :: we kissy kiss in the rear view :: we're so bored :: you're to blame

try to see it once my way :: everything zen :: everything zen :: i don't think so

raindogs howl for the century :: a million dollars a steak :: as you search for your demi-god :: and you fake with a saint :: there's no sex in your violence :: there's no sex in your violence

try to see it once my way :: everything zen :: everything zen :: i don't think so

i don't believe that elvis is dead, :: i don't believe that elvis is dead :: i don't believe that elvis is, elvis is

there's no sex in your violence"

domingo, 7 de junho de 2009

Benção...

"Uma das maiores bênçãos do mundo, creio eu, é a incapacidade da mente humana em correlacionar todos os seus conhecimentos. Nós vivemos numa plácida ilha de ignorância no meio de um oceano negro infinito, e não era para que pudéssemos navegar para longe. As ciências, cada uma esticando a corda em sua própria direcção, têm-nos causado pouco mal até agora; mas algum dia esse mosaico de conhecimento dissociado nos legará um terrível panorama da realidade e de nossa amedrontadora posição neste lugar, tão terrível, que ou bem nós ficaremos loucos diante da revelação ou fugiremos cobardemente da luz mortal para a paz e a segurança de uma nova Idade Negra."

em: The Call of Cthulhu; H. P. Lovecraft

"Aphrodisiac"

Cá vai a sugestão desta semana:

musica: Ahrodosiac (live)
interprete: Bow Wow Wow
álbum: Wild in the U.S.A., 1999

sábado, 6 de junho de 2009

Autopsicografia

"O poeta é um fingidor.
Finge tão completamente
Que chega a fingir que é dor
A dor que deveras sente.

E os que lêem o que escreve,
Na dor lida sentem bem,
Não as duas que ele teve,
Mas só a que eles não têm.

E assim nas calhas de roda
Gira, a entreter a razão,
Esse comboio de corda
Que se chama coração."

27/11/1930 - Fernando Pessoa

quarta-feira, 3 de junho de 2009

"Tideland"

Vi o filme Tideland esta tarde e,... na verdade, não consigo decidir-me se o que vi no ecrã durante quase 2 horas foi algo genial ou repugnante... o filme é surreal, metafórico, esquizofrénico, bizarro, grotesco, visualmente lindo e arrepiante, mesquinho e pormenorizado, é onirico e capaz de provocar convulções e espamos, é uma fantasia (cruel) e fantástico., poético... e a interpretação de Jodelle Ferland (Jeliza-Rose no filme) é de uma genialidade e profissionalismo arrepiantes...

segunda-feira, 1 de junho de 2009

"Taste You"

Sugestão musical da semana (com atraso):

musica: Taste You
interprete: Melissa Auf der Maur
álbum: Auf der Maur, 2004


versão francesa


Versão live (francesa)

domingo, 24 de maio de 2009

"Like a Rolling Stone (live)"

A sugestão musical desta semana é Bob Dylan que faz hoje 68 anos (algo que fiquei a saber ao ouvir o programa de radio da Antena 3 "Costa a Costa" hoje a ele dedicado).

musica: Like a Rolling Stone
interprete: Bob Dylan
álbum: Highway 61 Revisited, 1965

domingo, 17 de maio de 2009

Impressões [9]

Inspiração...
...procura-se com afinco!Renovação...
...aguarda-se com tranquilidade!


(fotografia e edição: Mauro Correia, Lagos 2009)

"Postcards from Italy"

A sugestão musical da semana, cá vai:

musica: Postcards from Italy
interprete: Beirut
álbum: Gulag Orkestar, 2006

Desejo a todos uma boa semana...

domingo, 10 de maio de 2009

Sugestão musical da semana


musica: Oxalá te Veja
interprete: OqueStrada
álbum: Tasca Beat, 2009


Esta música fica aqui como a sugestão musical da semana, não por me agradar particularmente, mas porque, no fim de semana passado, alguém me disse que era dedica a mim...
Só não entendi se pela estrofe: "tenho dores fechadas em caixinhas contra aqui contra ali contra cá mas que me dizem estou aqui, estamos lá (...)" ou se pela "(...) oxalá te veja a meu lado ao pé de mim ..."

Vá-se lá saber...!

NoiteBranca, a 64ª [... um velho]

Tenho-me sentido como que um trapo, um velho!
Uma espécie de velho lobo do mar que gozaria o seu merecido descanso não se desse o facto de lhe faltarem as conquistas, as (des)aventuras e as peripécias de uma longa e preenchida existência...
Estou, ou melhor, suo fisicamente débil, um espírito (ser) jovem num corpo incapaz de dar resposta e/ou aguentar as vontades, aspirações e desejos daquele que o habita...

E assim me torno precocemente num velho débil, caseiro e cada vez mais só.


Desejos de uma noite não branca e com muita animação!

terça-feira, 5 de maio de 2009

Impressões [8 - no/do quarto da Martinha (na Cerca, Lagos)]






















Fotografias e edição: Mauro Correia; 3 Maio 2009, Lagos
(máquina fotográfica e janela de quarto cedidas pela Martinha)



domingo, 3 de maio de 2009

"Budapeste (sempre rock & rollar)"

A ultima sugestão live para fechar este ciclo:

música: Budapeste (sempre a rock & rollar) - ao vivo em Paredes de Coura (2007)
interprete: Mão Morta
álbum: Mutantes S21, 1992

"Cá vou eu no meu Traby
De bar em bar a aviar
Sempre a abrir a noite toda
Sempre a rock & rollar

Charro aqui charro ali
Mais um vodka p'ra atestar
Corro Peste corro Buda
Sempre a rock & rollar

As noites de Budapeste
São noites de rock & roll

P'las caves da cidade
São só bandas a tocar
Pondo tudo em alvoroço
Tudo a rock & rollar

Mulheres lindas de morrer
Mini-saias a matar
Não tem fim o reboliço
Tudo a rock & rollar

As caves de Budapeste
São caves de rock & roll

Cá vou eu no meu Traby
De bar em bar a aviar
Sempre a abrir a noite toda
Sempre a rock & rollar

Charro aqui charro ali
Mais um vodka p'ra atestar
Sempre a abrir a noite toda
Sempre a rock & rollar'

As noites de Budapeste
São noites de rock & roll"

domingo, 26 de abril de 2009

Sugestão musical da semana


musica: A Case of You (Joni Mitchell cover), live
interprete: Diana Krall
álbum: Live in Paris (DVD), 2004

domingo, 19 de abril de 2009

"Through Her Eyes"

Sugestão musical (live) da semana:

musica: Through Her Eyes
interprete: Dream Theater
álbum: Metropolis live, 2000 (DVD)



Que tenhais uma semana em cheio...
Abraços

sábado, 18 de abril de 2009

Impressões [7]

Cheguei faz pouco tempo das urgências do hospital de Lagos, onde confirmei ter uma entorse no tornozelo direito devido a um "mau jeito" que dei ontem... agora é repouso e esperar estar em condições para trabalhar 2ª feira.

Enquanto esperava para ser atendido - e a espera foi longa como é costume - entrou na sala das urgências um homem, idoso, em cadeira de rodas - guiado pela sua atenciosa e carinhosa esposa - cujo estado em pouco ou nada diferenciava de um cadáver, de um vegetal - um morto-vivo - onde apenas fui capaz de perceber a existência de vida através dos olhos... [esta realidade deixou-me enjoado, senti pena, senti-me incapaz perante a vida, a realidade do momento]... não consegui deixar de imaginar-me preso num corpo que não funcionasse, ou que tivesse deixado de o fazer, com a consciência e a lucidez própria desse (hipotético) estado... é a ideia mais assustadora que me pode surgir (e surge-me de tempos a tempos!). Gostaria que me terminassem com o calvário....

Afinal quão (des)humana é ou não a morte (assistida)?

Impressões [6 - dois frames de noite em Lagos]


Descanso dos "guerreiros" após mais uma dura semana, com chuva, de trabalho...
Fotografias por Mauro Correia, 17 Abril de 2009 (com o telemóvel)

sexta-feira, 17 de abril de 2009

mar & açúcar

"Sempre me lembro de ter ouvido o mar. Da mistura com o vento nas folhas das palmeiras bravas, um vento que nunca deixa de soprar, mesmo quando nos afastamos da costa e avançamos canaviais adentro: é o ruído de fundo que acompanha a minha infância. Ouço-o agora, no mais íntimo de mim, e levo-o comigo para onde quer que vá.

(...)

"Na escuridão, penso no mar como se fosse uma pessoa humana, com todos os sentidos despertos para melhor o ouvir chegar, para melhor o receber. As vagas gigantescas cavalgam os recifes, vêm desabar na laguna e o estouro faz vibrar a terra e o ar como um caldeirão. Ouço-o, o mar mexe, respira.
(...)"

[página: 9]

"(...)

Há um cheiro acre no ar, o cheiro da seiva das canas de açúcar, da poeira, do suor dos homens. Um pouco atordoados, caminhamos corremos em direcção às casas de Tamarindo, onde chegam os carregamentos de cana. Ninguém repara em nós. Há tanta poeira nos caminhos que já estamos vermelhos dos pés à cabeça, e a nossa roupa assemelha-se a gunnies. Muitas crianças correm a nosso lado pelos caminhos, indianos, caíres, comem as canas caídas dos carros de bois. Toda a gente se encaminha para a fábrica de açucar, a fim de ver as prensas a trabalhar.
Finalmente, estamos diante dos edifícios. Sinto algum receio, pois é a primeira vez que venho aqui. Diante da alta parece caiada, detêm-se as vagonetas e os homens descarregam as canas que vão ser lançadas nos cilindros. A caldeira exala um fumo denso, arruçado, que escurece o céu e nos sufoca quando o vento o desvia na nossa direcção. Há barulho e jactos de vapor por todo o lado. Mesmo à nossa frente, vejo o grupo de homens que mete na fornalha o bagaço das canas esmagadas. Estão quase nús, como titãs, com o suor a escorrer-lhes pelas costas negras, de rostos crispados pelo calor ardente. Não dizem nada. Limitam-se a pegar no bagaço e a lança-lo no forno às braçadas, gritando de cada vez: han!
(...)

"(...) O ruído, o calor, o vapor são tais que que a cabeça me anda à roda. O suco claro escorre sobre os cilindros e vai cair nas tinas ferventes. Junto das centrifugadoras, estão as crianças. Descubro Ferdinand: está à espera, de pé diante da tina que gira lentamente enquanto a calda espessa acaba de arrefecer. Há uma forte ondulação na tina, o açucar escorre por terra, pende em cuágulos negros que rolam pelo chão coberto de folhas e de palha. As crianças acorrem aos gritos, apanham os pedaços de açucar e afastam-se para ir chupa-los ao sol.

(...)"

[página: 16 e 17]

exertos de: "O Caçador de Tesouros" (Ed. Assírio & Alvim; colecção o Imáginário: nº: 27)
por: J.M.G. le Clézio

quinta-feira, 16 de abril de 2009

NoiteBranca, a 63ª [handicap e/ou assalto de dúvida]

Faz hoje precisamente três meses e dez dias que me encontro a trabalhar naquilo para o que andei durante 4 anos a estudar na faculdade - Arqueologia... terminaram as escavações de Verão e em regime de voluntariado, terminaram os trabalhos pontuais, agora sou oficialmente um trabalhador (a recibos-verdes, mas ainda assim...).
Este inicio tem sido um misto de dificuldades e benesses. A benesse, o ter enviado currículos em finais de Dezembro (2008) e ter sido contactado para colaborar em trabalhos logo no dia 2 de Janeiro e desde então continuo a colaborar com a mesma empresa (Dryas Arqueologia lda.) sem ter tido ainda a necessidade de voltar a procurar (algo que colegas meus continuam ainda a fazer, já desesperadamente, sem que nada lhes surja!) ou ficado "desempregado". Estarão a gostar do meu trabalho? Espero que sim, pois aqui tenho aprendido bastante (os metodos de trabalho e de registo são louváveis no contexto real daquilo que é a arqueologia de emergência em Portugal) e o ambiente (as possoas) é bom... mas, há sempre um mas para mim, tenho estado a trabalhar (trabalho muitas das vezes duro e à mercê do clima) em locais no minimo a 500 kms de casa e sinto, a cada dia que passa, que não tenho perfil para uma vida nómada, sou um tipo de hábitos e que necessita de "almofadas" para não entrar em atitudes separatistas de isolamento, em depressão (posso mesmo, sem me dar conta de tal na maior parte das vezes, tornar a minha antisocialidade em atitudes "agressivas") - espero a breve trexo conseguir superar este meu handicap...

A preocupação assalta-me cada dia mais violentamente, tenho eu perfil para a Arqueologia (ser arqueólogo)?

A todos desejo, mais uma vez, uma noite não "branca"!

Impressões [5 - Ponta da Piedade]




A Ponta da Piedade em Lagos (Algarve, Portugal) parece um daqueles postais que vemos a promover o turismo do/no Algarve...

E é nesta cidade que estou a trabalhar numa escavação arqueológica (PAVd) nas ruínas de uma Gafaria (hospital/asilo para leprosos) dos séculos VXI/XVII...

(fotos e edição por Mauro Correia, 28 de Março de 2009)

domingo, 12 de abril de 2009

"Kick out the Jams"

Silêncio (yeah!):

música: Kick out the Jams (live in Chicago, 1995)
interprete: Jeff Buckley

sexta-feira, 10 de abril de 2009

pastiche

"(...)
Em todo o caso, ele dá grandes festas - disse Jordan mudando de assunto com uma urbana aversão ao concreto. - E eu gosto de festas grandes. Acabam sempre por ser tão íntimas!... Nas festas pequenas não há privacidade nenhuma.
(...)"

por: F. Scott Fitzgerald
em: O Grande Gatsby. pp: 56 (Biblioteca visão/colecção novis)

Impressões [4]

Aprende(r) com o tempo, com a idade... realidade insofismável! Mas porque me sinto a estagnar?

domingo, 5 de abril de 2009

"1979"

De volta ao blogue e para já apenas com a sugestão musical (live):

musica: 1979
interprete: Smashing Pumpkins

segunda-feira, 23 de março de 2009

Sugestão musical da semana

A suestão desta semana vem com um dia de atraso, mas merece a pena ser ouvida e visionada. Cat Power live...

musica: The Greatest (live 2006)
interprete: Cat Power

domingo, 15 de março de 2009

"A Moment in Time"

Senhoras e senhores:

musica: One Last Goodbye
interprete: Anathema
álbum: A Moment in Time (DVD), 2007

domingo, 8 de março de 2009

"Set the Controls for the Heart of the Sun"

cá vai o live desta semana:

música: Set the Controls for the Heart of the Sun
interprete: Pink Floyd
álbum: Live at Pompeii (Italy, 1972) - DVD: director's cut, 2003

domingo, 1 de março de 2009

"Red Rain"

Neste mês de Março e no próximo as sugestões musicais serão algumas actuações ao vivo, de bandas e/ou interpretes que me agradam, que considero fantásticas.
A desta semana é o incontornável Peter Gabriel e o seu concerto (DVD) da Growing Up tour de 2003:

musica: Red Rain
interprete: Peter Gabriel
álbum: Growing Up (Growing Up Tour 2002/03, Live in Milano), 2003


"red rain is coming down
red rain
red rain is pouring down
pouring down all over me

I am standing up at the water's edge in my dream
I cannot make a single sound as you scream
it can't be that cold, the ground is still warm to touch
this place is so quiet, sensing that storm

red rain is coming down
red rain
red rain is pouring down
pouring down all over me

well I've seen them buried in a sheltered place in this town
they tell you that this rain can sting, and look down
there is no blood around see no sign of pain
hay ay ay no pain
seeing no red at all, see no rain

red rain is coming down
red rain
red rain is pouring down
pouring down all over me

red rain-
putting the pressure on much harder now
to return again and again
just let the red rain splash you
let the rain fall on your skin
I come to you defences down
with the trust of a child

red rain is coming down
red rain
red rain is pouring down
pouring down all over me
and I can't watch any more
no more denial
it's so hard to lay down in all of this
red rain is coming down
red rain is pouring down
red rain is coming down all over me
I see it
red rain is coming down
red rain is pouring down
red rain is coming down all over me
I'm bathing in it
red rain coming down
red rain is coming down
red rain is coming down all over me
I'm begging you
red rain coming down
red rain coming down
red rain coming down
red rain coming down
over me in the red red sea
over me
over me
red rain
"

domingo, 22 de fevereiro de 2009

paisagem

"(...) A verdade, se quisermos aceitá-la em toda a sua crueza, é que, simplesmente, não é possível descrever uma paisagem com palavras. Ou melhor, ser possível, é, mas não vale a pena. Pergunto se vale a pena escrever a palavra montanha se não sabemos que nome se daria a montanha a si mesma. Já a pintura é outra coisa, é muito capaz de criar sobre a paleta vinte e sete tons de verde seus que escapam à natureza, e alguns mais que não o parecem, e a isso, como compete, chamamos arte. Às árvores pintadas não caem as folhas."

por: José Saramago
em: A Viagem do Elefante (pp: 241 e 242)

"Home"

Sugestão musical da semana:

música: Home
interprete: Autumn Shade
álbum: Ezra Moon, 2007

domingo, 15 de fevereiro de 2009

Arqueologia - Tempo - Espaço

Arqueologia, tempo e espaço, são três conceitos cuja ambiguidade é cada vez mais evidente, mas cuja relação é inequívoca, e, sobretudo, Tempo e Espaço podem por si sós ser o objecto (ou objectivo?!) da prática arqueológica.

Assumindo então esta(s) relação(ões) como constantes e indissociáveis, isto é, que em última instância, ou mesmo única, a Arqueologia (ou Arqueologias?!) é tempo-espaço / espaço-tempo, que é então a relação de grandeza e/ou de preponderância de um e de outro na prática e na vivência desta ciência (social e humana, mas também física, química e numérica) multidisciplinar?

Comecemos então pela procura de definir, na medida do possível e mediante as limitações do autor desta reflexão, Tempo e Espaço na/da arqueologia e na concreta realização da mesma.
O Tempo da/na arqueologia pode, numa primeira impressão, ser definido como o tempo do estudo de passados mais ou menos longínquos, desde a Pré-história até ao passado recente… mas, isto é demasiado redutor e falacioso, pois o tempo arqueológico é também, e talvez sobretudo, o do Presente, aquele em que o estudo arqueológico tem lugar, aquele em que a leitura e interpretação das evidencias arqueológicas são realizadas pelo Arqueólogo (segundo as suas convicções, acções, princípios, objectivos, etc.) perante os seus pares e perante a sociedade presente, sendo portanto tempos e não tempo, em que um tempo passado é interpretado à luz de um tempo presente e, ainda, passível de ser reinterpretado num tempo futuro, isto porque em arqueologia há que ter a consciência que lidamos com verdades relativas e restritas ao(s) momento(s) da sua concepção.

Aconteceu no paragrafo anterior, com plena consciência por parte do autor de tal facto, que na tentativa de circunscrever o conceito de tempo arqueológico tenhamos caído num dos espaços da realidade da actividade arqueológica: o Arqueólogo!

Este é, incontornavelmente, um dos principais actores do(s) espaço(s) arqueológicos, mas não o único evidentemente, e nem seque o primeiro no tempo (na cronologia) espacial (físico) do acontecimento e do saber arqueológicos.

O primeiro espaço é, precisamente, o da acção acontecida (acção antropológica – humana) e dos registos materiais por esta acção (momento(s)) preservados (ruína/estruturas positivas e/ou negativas, fragmentos cerâmicos, líticos, osteológicos, etc). O segundo espaço é o da intervenção arqueológica (escavação), seja ela com carácter de emergência ou de investigação académica, onde através da exumação da materialidade que restou (sempre uma ínfima parte da que existiu, o que trunca realidades) e do registo (o mais cuidado e exaustivo possível – assim se espera pois a intervenção arqueológica é irreversível por natureza) momento em que o arqueólogo e a sua equipa, através do seu conhecimento e saberes (aqui conhecimento e saber são eles mesmos espaços mas de características metafísicas) começam a esboçar a (re)criação do espaço-tempo que havia sido o da materialidade e das evidencias antes da sua exumação, espaço-tempo este que ganha forma (se bem que sempre com consciência da sua relatividade) no espaço (-tempo) dos estudos de gabinete, nas análises e caracterização das evidencias…

Pode-se então concluir pelo que até aqui foi exposto que Tempo e Espaço são de valor e valência equivalente da/na prática arqueológica, não sendo também passíveis de estancar um do outro? Sou peremptório a afirmar que sim!

E no que à escala de ambos diz respeito, Espaço-Tempo arqueológicos serão de uma vastidão e amplitude tais capazes de abarcar no seio desta ciência tempo e espaços do(s) passado(s), do agora e do devir (que virá a tornar-se Presente e Passado)? Julgo que tal é uma combinação inconcebível (megalómana) e até potencialmente descredibilizadora para a Arqueologia, preferindo crer que o espaço-tempo / tempo-espaço do conhecimento arqueológico são limitados ao do seu Presente sócio-cultural e ao dos indivíduos intervenientes na (re)criação deste(s) saber(es), cuja factualidade, deve ser, como já anteriormente referido, assumida como relativa e restrita às convicções, moral, valores, técnicas, tecnologias e sociedade do presente (sublinhando e/ou retorquindo estas premissas e quesitos), e, esperando-se que seja capaz de a esta mesma sociedade oferecer algo trabalhando e contribuindo activamente para a sua melhoria a nível cultural social e mesmo económico, não se refugiando num discurso “caro” por debaixo de um chapéu de linguagem meramente elitista (cientifica?!) que a torne de tal modo fechada que deixa mesmo de ser ciência (social e humana) correndo o risco de tornar-se num placebo e num recreio (pseudo)intelectual, uma entidade morta e (ultra)passada no tempo e no espaço humanos…

"(...)
quantos sou?
(...)" F. Pessoa

Texto por: Mauro Correia; Cuba, Alentejo, 14 de Fevereiro de 2009


fonte da imagem: http://www.smoothware.com/danny/hourglass.jpg

"Please read the Letter"

A sugestão musical desta semana vai para Robert Plant & Alison Krauss grandes vencedores dos Grammys '09... fantástico álbum:


musica: Please Read the Letter
interprete: Robert Plant & Alison Krauss
álbum: Raising Sand, 2008

"Caught out running
With just a little too much to hide
Maybe baby
Everything's gonna work out fine
Please read the letter
I pinned it to your door
It's crazy how it all turned out
We needed so much more
Too late, too late
A fool could read the signs
Maybe baby
You'd better check between the lines
Please read the letter, I wrote it in my sleep
With help and consultation from
The angels of the deep
Once I stood beside a well of many words
My house was full of rings and
Charms and pretty birds
Please understand me, my walls come falling down
There's nothing here that's left for you
But check with lost and found
Please read the letter that I wrote
Please read the letter that I wrote
One more song just before we go
Remember baby
All the things
We used to know
Please read my letter
And promise you'll keep
The secrets and the memories and
Cherish in the deep
Ah -
Please read the letter that I wrote
Please read the letter that I wrote
Please read the letter that I wrote
Please read the letter that I wrote
Please read the letter that I wrote
Please read the letter that I wrote"

sábado, 14 de fevereiro de 2009

Impressões [3] - momento(s)

O sono foi agitado, há muito tempo que não pensava nisto, na saudade de algo que nunca o foi, saudades de Ti... do teu olhar, do teu sorriso, da tua voz, dos nossos diálogos e silêncios... do teu jeito de ser: frágil e cruel, egoísta e carinhosa...

Há muito que não te vejo, estás longe física e emocionalmente, provavelmente é algo que não tornará a acontecer...
Tenho saudades tuas... que se passou para chegar a isto? Porque nunca fui eu capaz de te confrontar directamente com o que sentia, ou sinto? Porque hesitei sempre? Porque te afastei e deixei que me manuseasses e desconsiderasses ao teu bel-prazer?

Sinto falta de ti (de nós!), dos nossos momentos: jantares - dos sofisticados e dos frugais, dos auxílios que nos prestamos mutuamente, do cinema... daquela noite de fado inesperada e quase mágica... da musica!

Estás longe e provavelmente nunca virás a ler esta confissão!
E se a leres perceberás que é para Ti que a escrevo?
Perceberás o mal que estou e o mal que me causas(te)? Perceberás o quanto te quero, mesmo do meu jeito desajeitado e inconsequente?

Sinto-me órfão daquilo que foi, daquilo que poderia ter sido e de um devir que uma leve esperança alimenta em mim...

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

...

TIC-TAC, TIC-TAC, TIC-TAC, tic-tac, tic-tac, tic-tac...

domingo, 8 de fevereiro de 2009

"... (as) valquírias "

musica da semana:

musica: The RIde of the Valkyries (Die Walkure)
compositor: Richard Wagner
interpretação: Radio Filharmonisch Orkest Holland sob a batuta de Edo De Waart

domingo, 1 de fevereiro de 2009

Impressões [2]




Reflectindo nas inúmeras vezes em que fico sem palavras, silencioso, corado, embasbacado, atrapalhado e com vontade de desaparecer, tenho a impressão, por vezes, que sou um Ser envergonhado e retraído, adverso à interacção e com pânico do estar em publico... algo que não se enquadra na imagem de confiante, arrogante, mal encarado e altivo que muitas vezes me atribuem... afinal quem/o que sou?

Um espelho? Que reflexo(s)?



fonte da imagem: http://www.edinformatics.com/inventions_inventors/Mirror.jpg

"Muda de Viva"

Cá vai a habitual sugestão musical da semana:

musica: Muda de Vida
interprete: Humanos*
álbum: Humanos, 2004

"Muda de vida se tu não viveres satisfeito
Muda de vida, estás sempre a tempo de mudar
Muda de vida, não deves viver contrafeito
Muda de vida, se há vida em ti a latejar...

(...)"

Peço desculpas aqueles que ainda passam nas NoitesBrancas e que têm encontrado pouco mais que as sugestões musicais, o momento da vida assim o tem obrigado [é como se não conseguisse algo mais do que retirar silencio da ilha deserta e minúscula que é o meu ser], mas tentarei mudar a atitude em breve!

Desejo a todos uma boa 1ª semana de Fevereiro.
Abraços!

*sitio oficial: http://humanos.sapo.pt/

domingo, 25 de janeiro de 2009

"Wicked Game"

Sugestão musical da semana:

musica: Wicked Game
interprete: H.I.M.
álbum: Greatest Lovesongs, Vol. 666, 1997

"The world was on fire
No one could save me but you.
Strange what desire will make foolish people do
I never dreamed that I'd meet somebody like you
And I never dreamed that I'd lose somebody like you

No, I don't want to fall in love
[This love is only gonna break your heart]
No, I don't want to fall in love
[This love is only gonna break your heart]
With you
With you

What a wicked game you play
To make me feel this way
What a wicked thing to do
To let me dream of you
What a wicked thing to say
You never felt this way
What a wicked thing to do
To make me dream of you
v And I don't wanna fall in love
[This love is only gonna break your heart]
And I don't want to fall in love
[This love is only gonna break your heart]

{World was on fire
No one could save me but you
Strange what desire will make foolish people do
I never dreamed that I'd love somebody like you
I never dreamed that I'd lose somebody like you

No I don't wanna fall in love
[This love is only gonna break your heart
No I don't wanna fall in love
[This love is only gonna break your heart]
With you
With you

Nobody loves no one..."




sexta-feira, 23 de janeiro de 2009

Em Serpa [parte 3]

Jovem (cabrito) de visita às sondagens do Monte dos Carrascais...

"Mmmééééé... estas a fotografar quem pá? mééééé...."

(edição: Mauro Correia)
(fotografia: Susana Dias)

domingo, 18 de janeiro de 2009

... mulher(es)...

"(...)
As curvas dos teus quadris são como jóias, o teu umbigo é uma taça arredondada, cheia de vinho perfumado, o teu ventre é um monte de trigo cercado de lírios, os teus seios são como dois filhinhos gémeos de uma gazela...
(...)"

Por: José Saramago
em: Evangelho Segundo Jesus Cristo (pp: 282 / Ed. Caminho)

"Alive and Kicking"

Sugestão musical da semana:

musica: Alive and Kicking
interprete: Simple Minds
álbum: Once Upon a Time
, 1985

"(...)
Alive and Kicking...
(...)"

sábado, 17 de janeiro de 2009

Em Serpa [parte 2]

Este é o meu 1º fim de semana em Serpa...
Esta manha levantei-me cheio de espírito (o dia esta de sol e de temperatura primaveril), e decidi deambular pela cidade (é mais pequena do que me tinha parecido até agora), sobretudo pela zona de centro histórico - intra muralhas, é um misto de ar-respirável com ruas estreitas e sinuosas... faz-me muita confusão os edifícios serem todos brancos [é um pouco sinistra esta caracteristica do Alentejo!]... A máquina fotográfica acompanha-me (como quase sempre) mas, Serpa não me cativa a fotografar...
Vou ainda tentar visitar o Museu Etnográfico e o Museu do Relógio.

Desejo a todos um bom fim de semana!

(foto: Mauro Correia; pano de muralha e Porta de Beja, Serpa)