quarta-feira, 30 de abril de 2008

NoiteBranca, a 48ª

Serena vai esta noite de lua minguante... e a minha vem em tom confessional!

Li por aí algures [perdoe-me o autor por não lhe referir o nome, que desconheço] que: "O homem mais livre que conheci, vivia acorrentado ao coração de uma mulher", confesso-me [e espero não estar redondamente enganado], só serei um espírito realmente livre a partir do momento em que for acorrentado e ao mesmo tempo acorrentar o coração daquela mulher!

[Livre = Acorrentado!?]

Desejos de um bom feriado... e de noites não "brancas"!

"Passei toda a noite, sem dormir..."

"Passei toda a noite, sem dormir, vendo, sem espaço, a figura dela,

Passei toda a noite, sem dormir, vendo, sem espaço, a figura dela,
E vendo-a sempre de maneiras diferentes do que a encontro a ela.
Faço pensamentos com a recordação do que ela é quando me fala,
E em cada pensamento ela varia de acordo com a sua semelhança.
Amar é pensar.
E eu quase que me esqueço de sentir só de pensar nela.
Não sei bem o que quero, mesmo dela, e eu não penso senão nela.
Tenho uma grande distracção animada.
Quando desejo encontrá-la
Quase que prefiro não a encontrar,
Para não ter que a deixar depois.
Não sei bem o que quero, nem quero saber o que quero. Quero só Pensar nela.
Não peço nada a ninguém, nem a ela, senão pensar."


"Água-Queda"

(foto e edição: Mauro Correia)

terça-feira, 29 de abril de 2008

NoiteBranca, a 47ª

Tenho vindo a reflectir nas inconstâncias dos humores [dos meus quiça]!

No modo como variamos ao longo do dia, como nos metamorfoseamos perante esta ou aquela pessoa, perante este ou aquele contexto...
Pergunto: são tudo isto atitudes conscientes, algo (pré)concebido para passar a mensagem e impressões que queremos quando queremos e a quem queremos? Ou por outro lado serão isto atitudes inconscientes, do instinto daquilo que é ser humano, algo intrínseco e incontrolável? Os vários “eus” pessoanos? Pode ser-se "verdadeiro/original/natural" alguma vez?

Sofro eu deste “mal”!? Enceno constante e ininterruptamente [até ao fim dos meus dias!] os vários ”eus” de que sou composto? Sem nunca ser então capaz de me (re)conhecer? Ou conheço-me de tal maneira profundamente que sou capaz de desdobrar-me em varias faces sem nunca perder a “razão” do meu “eu”?

Não sei qual das hipóteses a mim se pode aplicar [um pouco de ambas talvez?]...

Desejo-te [afinal sera que posso desejar algo no singular?] uma noite não “branca”!

"Sagrado"

(fotografia: Nuno Sousa / edição: Mauro Correia)

Capela Roqueira do Prazo/Freixo de Numão ao pôr do sol...

segunda-feira, 28 de abril de 2008

"Flores"



“Flores que colho, ou deixo,

Vosso destino é o mesmo.

Via que sigo, chegas
Não sei aonde eu chego.

Nada somos que valha,
Somo-lo mais que em vão.”


«Flores», por: Ricardo Reis

"Chameleon"


musica: Chameleon
interprete: Herbie Hancock
álbum:
Head Hunters, 1973

terça-feira, 22 de abril de 2008

Envelhecer...

" (...) dois velhos, sentados no mesmo banco, calados, provavelmente conhecem-se há tanto tempo que já lhes falta de que falarem, talvez andem só a ver quem morre primeiro."

José Saramago: "O Ano da Morte de Ricardo Reis"


Esta frase reflecte a meu ver muito daquilo que é o processo de envelhecer na sociedade portuguesa dos finais do século XX e princípios do XXI... triste quadro este! De que modo devemos tratar os nosso "anciãos"?

(A) Mensagem

«Nevoeiro»


“Nem rei nem lei, nem paz nem guerra,
Define com perfil e ser
Este fulgor baço da terra
Que é Portugal a entristecer -
Brilho sem luz e sem arder,
Como o que o fogo-fátuo encerra.

Ninguém sabe que coisa quere.
Ninguém conhece que alma tem,
Nem o que é mal nem o que é bem.
(Que ânsia distante perto chora?)
Tudo é incerto e derradeiro.
Tudo é disperso, nada é inteiro.
Ó Portugal, hoje és nevoeiro...

É a Hora!”


segunda-feira, 21 de abril de 2008

"Ciúme"

«O Ciúme»

"Entre as tartáreas forjas, sempre acesas,
Jaz aos pés do tremendo, estígio nume (1),
O carrancudo, o rábido (2) Ciúme,
Ensanguentadas as corruptas presas.

Traçando o plano de cruéis empresas,
Fervendo em ondas de sulfúreo lume,
Vibra das fauces o letal cardume
De hórridos males, de hórridas tristezas.

Pelas terríveis Fúrias (3) instigado,
Lá sai do Inferno, e para mim se avança
O negro monstro, de áspides (4) toucado.

Olhos em brasa de revés me lança;
Oh dor! Oh raiva! Oh morte!... Ei-lo a meu lado
Ferrando as garras na vipérea (5) trança."


por: Manuel Maria de Barbosa l'Hedois du Bocage



--------------------------------
(1) Plutão, deus dos infernos.
(2) Raivoso, furioso
(3) Demónios do mundo infernal.
(4) Serpentes venenosas.
(5) De víbora
--------------------------------

"Little Black Angel"


musica: Little Black Angel
interprete: Death in June
álbum: Discriminate, 2000


Hoje sinto uma "aura negra" sobre mim... em mim...

domingo, 20 de abril de 2008

"Karma Police" - RadioHead



musica: Karma Police
interprete: Radiohead
álbum: OK Computer, 1997

http://www.radiohead.com/deadairspace/

NoiteBranca a 46ª

Acabo de perecer... ou julgo que tal me aconteceu! Será possível? Mas então como pode ser? Como posso estar então a noticiar o meu próprio perecimento? Talvez tenha enlouquecido de vez [mais uma noite branca se aproxima] e me julgue num estado em que não estou... num estado impossível de estar!

Não, tem de ser um facto – pereci de verdade – estou finado por dentro, não nas entranhas, mas noutro qualquer dentro! Mas quando isto aconteceu? Terá sido mesmo há pouco? Ou, pelo contrário, será que é desde sempre este o meu estado interior?! E porque aconteceu? [Não o sei, ou talvez saiba e não to queira dizer... Mas provavelmente não o sei mesmo, quem o sabe? Não serás tu quem sabe?!]

[Mas que discurso é este o meu? Que vulgaridade...]


Desejos de uma noite não “branca”!

sábado, 19 de abril de 2008

(des)abafo...

Sinto-me “usado” (abafado) neste preciso momento...

Em pleno sábado (se bem que de chuva torrencial) estou para aqui sozinho, enfiado na área da restauração de um centro comercial a comer um gelado tamanho XL (ok esta é a parte boa)! E qual a razão para tal (in)actividade? As senhoras da famelga decidiram que era dia de compras, e eu, claro esta, fui forçado a vir para fazer de motorista (triste sina)!

Odeio compras, execro centros comerciais (ou “shopings” como é “in” dizer-se hoje em dia). Estou para aqui a perder a minha tarde ligado à internet (este centro tem hi-fi de acesso gratuito), quando podia estar a fazer algo de (in)util – trabalhar ou outra coisa qualquer... Que faço eu no entanto... NADA! Ou melhor, observo as pessoas a passar todas com o seu ar alienado, apressado, tranquilo, umas com ar de “frete” (devem gostar tanto disto quanto eu), cheias de sacos, ou então observo conversas e namoros sentadas a uma mesa (ao lado), crianças a correr... vida, vejo vida (um pouco “inútil” pelo espaço onde decorre), já eu sinto-me como morto...


Bem, podia continuar a escrever e escrever, mas os portáteis têm um inconveniente, a duração limitada da bateria e a minha esta a terminar. Abraç...

Recordação (idiota)



Ok, é idiota, eu sei... tem piada? Sim alguma... Mas pronto já há uns anos que não me lembrava disto... quem pensou/realizou os "Happy tree Friends" deve ser tão ou mais perturbado que eu! eheheheheh

quarta-feira, 16 de abril de 2008

NoiteBranca, a 45ª [Esperança!?]

Esperança?! Talvez... em ti!

"Esperança:
isto de sonhar bom para diante
eu fi-lo perfeitamente,
Para diante de tudo foi bom
bom de verdade
bem feito de sonho
podia segui-lo como realidade

Esperança:
isto de sonhar bom para diante
eu sei-o de cor.
Até reparo que tenho só esperança
nada mais do que esperança
pura esperança
esperança verdadeira
que engana
e promete
e só promete.
Esperança:
pobre mãe louca
que quer pôr o filho morto de pé?

Esperança
único que eu tenho
não me deixes sem nada
promete
engana
engano que seja
engana
não me deixes sozinho
esperança."

'Esperança', Almada Negreiros


Desejo-te uma noite não "branca"!

terça-feira, 15 de abril de 2008

Dead can Dance

Aqui deixo dois videos dos Dead can Dance...


musica: The Carnival is Over
álbum: Into the Labyrinth, 1993



musica: Rakim
álbum: Toward the Within, 1994


...muuuiiitooo bom!

domingo, 13 de abril de 2008

"Gnoma" - Mão Morta


musica: Gnoma
interprete: Mão Morta
álbum: Nús, 2004

"Dá-me mais quero mais
Desse vinho bem forte
Acre sol estival
De uma vida em desnorte
Já perdi o que tinha
A família a consorte
Para ser mero pó
Falta só vir a morte a morte

Tem calma irmão
Que a morte está aí para todos nós
E à parte as mães
Ninguém pode afirmar de viva voz
Que deixa cá algo
Quando a vida nos solta enfim os nós

Serve então mais um copo
Uma noite a beber
Não fará mal pior
E dará p’ra esquecer
O vazio que me ataca
Esta dor de viver
A feroz solidão
Que me faz q’rer morrer morrer

Tem calma irmão
Que a morte não precisa do teu sim
É coisa certa
Mais vale fazer da vida um festim
Canta antes dança
Que a vida não te surja mais ruim

Cantar eu?

Dançar dizes tu...

Serve então mais um copo para ajudar

Tem calma irmão
Que a morte não precisa ser assim
Canta e vais ver
Que a vida não te larga mais por fim"


ligações: http://www.mao-morta.org/noticias.htm

http://pt.wikipedia.org/wiki/M%C3%A3o_Morta#.C3.81lbuns

quarta-feira, 9 de abril de 2008

Côr?!


Quero dar-te cor! Quero ser cor para ti! faz-me bem a tua cor, faz-me falta!
Estou cansado do preto e do branco... e ainda mais cansado do cinzento... vamos dar uso e asas às cores?!

domingo, 6 de abril de 2008

Portishead...

Por alturas do lançamento de um novo álbum dos Portishead - o tão esperado "Third" - parece-me fazer sentido recordar dois dos anteriores sucessos desta banda (ambos retirados do concerto/DVD "PNYC", 1998), pelo que a sugestão musical da semana é:


musica: Glory Box
álbum: Dummy, 1994



musica: Roads
álbum: Dummy, 1994


sábado, 5 de abril de 2008

Ooops...! eheheheh

Não consigo resistir :D ... desculpem a vulgaridade...

Poooorto!


Campeão nacional de futebol 2007/2008

quinta-feira, 3 de abril de 2008

Tradições!?

Aproveitando este vídeo que me foi enviado por e-mail por um amigo, aproveito a ocasião para lançar a temática: Tradições!? O que? Quais são validas? Como? Em que medida não são atrasos estruturais a nível social e humano? Que interessa preservar?
video

Aguardo a vossa colaboração! Gostaria de gerar uma discussão/(poli)dialogo...
Eu darei também a(s) minha(s) perspectiva(s)!

quarta-feira, 2 de abril de 2008

"Ruce"



Sem comentários... AHAHAHAHAHA!!!